Os Jogos Paralímpicos acabaram e, com eles, o entusiasmo dos espectadores que acompanhavam as partidas, certo? Errado! As Paralimpíadas deixaram muito mais do que boas lembranças para a população brasileira. No caso das marcas patrocinadoras, então, o legado é muito amplo. Quer aprender mais sobre gestão de marcas com este grande evento? Acompanhe nosso post de hoje e saiba mais!

Orgulho nacional

A primeira herança deixada pelas Paralimpíadas foi o crescente reconhecimento e orgulho do povo brasileiro por essa modalidade. Antes do Brasil sediar o evento, os Jogos Paralímpicos mal eram acompanhados pela população brasileira, mais interessada nos Jogos Olímpicos.

Ao serem realizados no Rio de Janeiro, os jogos despertaram uma consciência coletiva, fazendo com que atletas até então pouco conhecidos passassem a ser referência de resistência e força de vontade. As marcas que se vincularam a essa conscientização certamente saíram ganhando.

Investimento desde o começo

Muitas marcas famosas foram patrocinadoras dos Jogos Paralímpicos, como os Correios e o Bradesco. Algumas empresas, entretanto, apostam no talento dos atletas desde o treinamento. Esse é o caso da Caixa Econômica Federal, que, desde 2004, patrocina o Comitê Paralímpico Brasileiro e, por meio desse investimento, promove a inclusão social, a educação e a descoberta de novos talentos.

Mudança na visibilidade

As marcas que patrocinaram as Paralimpíadas sentiram a diferença positiva no modo como passaram a ser vistas pelo público ainda no começo dos Jogos. Ao ter o nome da empresa associado ao investimento no evento ou nos atletas, a organização passa a ter maior empatia do público, que começa a considerá-la uma marca inclusiva e preocupada em defender a causa das pessoas com deficiência.

Foco no futuro

Algumas marcas optaram por não patrocinar diretamente os jogos ou os atletas mas pensaram ainda além, patrocinando a educação profissional de esportistas que se aposentaram da carreira. É o caso da rede Englishtown, que oferece bolsas de estudo para que os ex-atletas consigam melhores colocações no mercado de trabalho. Essa atitude, além de trazer um retorno financeiro para a empresa, atraiu a atenção da mídia, que fez uma divulgação positiva da rede.

Legado dos Jogos Paralímpicos

Além de trazer reconhecimento a atletas antes pouco conhecidos, como Daniel Dias, Ítalo Pereira e Terezinha Guilhermina, as Paralimpíadas valorizaram o esforço pessoal, a vontade de vencer e, mais do que tudo, deu um novo sentido à importância de competir mesmo que não se consiga o primeiro lugar no pódio. As empresas também podem aproveitar essa lição para ampliar e redefinir a sua gestão de marcas.

Dessa forma, os Jogos Paralímpicos não só foram fundamentais para que a sociedade refletisse sobre seus valores e crenças a respeito de ganhar e perder, mas também as empresas puderam aproveitar esse aprendizado. Ao divulgar a sua marca para ser reconhecida – assim como os atletas paralímpicos o fizeram – não basta a propaganda tradicional: é preciso mostrar as suas capacidades e conquistar a empatia do público. Assim, as pessoas irão em busca do seu produto ou serviço, assim como foram assistir a natação por causa de Daniel Dias. Aprenda com eles a gerir melhor a sua marca!

E você, aprendeu alguma outra lição com os Jogos Paralímpicos que não foi citada aqui? Comente nosso post e conte-nos a sua opinião!

[email protected] | + 55 48 3304-6549